27°C 16°C

São Paulo, SP

26°C 16°C

Curitiba, PR

29°C 18°C

Belo Horizonte, MG

30°C 20°C

Rio de Janeiro, RJ

26°C 16°C

Porto Alegre, RS

30°C 24°C

Salvador, BA

Terça-feira, 28 de Agosto de 2018 - 15h02

Saiba os perigos das técnicas de alongamento de unhas

Redação Mundo Positivo

Foto: Reprodução/Divulgação

 

Hoje em dia, não faltam técnicas e fórmulas para alongar as unhas. Técnicas em gel, porcelana, fibra de vidro, acrílica são muito usadas por mulheres que querem ter unhas maiores.

 

“Nem todas as pessoas podem usar as unhas postiças. Há pessoas com doenças na pele ou nas unhas que não devem usar. Por exemplo, alérgicos aos componentes do adesivo, pessoas com a pele sensível, com psoríase da unha e infecção devem evitar, pois o trauma pode piorar a doença da pele e unhas”, explica a Dra. Valéria Marcondes, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

 

Além disso, mesmo que sua unha seja saudável, ela pode ter problemas depois: “Todas estas formas de alongamento danificam as unhas originais, pois elas são coladas e ao serem retiradas as nossas unhas originais perdem várias camadas de queratina – proteína que forma as unhas. Os sinais visíveis são unhas frágeis e quebradiças”, explica a dermatologista Dra. Thais Pepe, da SBD.

 

Na técnica de unha de porcelana, usa-se um líquido e um pó acrílico, o que faz com que a unha fique um pouco ‘arenosa’ e áspera. No caso da unha de gel, essa é uma técnica que usa de um gel para modelar a unha, que seca em uma cabine de luz ultravioleta. 

 


No caso do acrílico, a Dra. Thais explica que este traz um efeito mais artificial, enquanto as unhas em fibras são usadas em unhas mais frágeis. “Estes materiais colocados podem causar processos alérgicos, dependendo da sensibilidade de cada um. Todas as unhas ficam fracas ao retirar os produtos. Algumas vezes os materiais se descolam um pouco das unhas deixando alguns orifícios. A umidade entra através destes orifícios tornando um ambiente perfeito para a proliferação de fungos. Algumas bactérias também se beneficiam deste ambiente. Por isso a necessidade da manutenção adequada”, destaca a Dra. Thais.

 

De acordo com a Dra. Valéria, para evitar que fungos e bactérias invadam as unhas, também é importante colocá-las com um bom profissional para não deixar espaços embaixo da unha ou bolhas de ar. “E para que elas durem mais, o ideal é usar luvas para lavar louça, evitar contato com água muito quente, evitar o contato com solventes de tintas ou acetona e fazer a manutenção a cada 15 dias. Cremes hidratantes e bases são ótimos aliados para evitar que as cutículas se ressequem e estraguem a unha”, diz a médica.

 

Se alguma coisa der errado e a unha ficar mais fraca, fina ou quebradiça, a conduta correta é procurar um dermatologista, que pode indicar fórmulas tópicas e orais, principalmente com silício Exsynutriment, para fortalecimento das unhas. 



publicidade:

publicidade:

publicidade: